Performance financeira e
visibilidade para o seu negócio!
FAQ – Segurança da Informação 2021-05-10T10:05:50-03:00

Saiba tudo sobre a Segurança da Informação para evitar ataques e ameaças em seu negócio!

A Segurança da Informação é responsável pela defesa dos dados, segurança e controle das informações do negócio. Essencial para manter a confidencialidade, ela é fundamental para evitar ataques cibernéticos!

A infraestrutura de nuvem oferecida pelos fornecedores de IaaS é protegida de várias maneiras, porém, o fornecedor é responsável apenas por proteger a infraestrutura que fornece. A maioria dos fornecedores conta com algum tipo de ferramenta de segurança, mas quando você instala um ou mais aplicativos virtualizados na nuvem, você se torna responsável por proteger o acesso, o tráfego de rede e os dados dos aplicativos.

SD-WAN é uma abordagem definida por software para gerenciar uma WAN. Os serviços de SD-WAN auxiliam a área tecnológica, proporcionando flexibilidade, maior simplicidade na gestão da rede e melhor custo benefício. A solução permite o uso simultâneo de links dedicados, como MPLS e também links alternativos de Internet – como banda larga e 3G/4G. Assim as cargas serão balanceadas, utilizando os links disponíveis de forma mais inteligente.

Com a SD-WAN, a empresa tem disponibilidade global, maior visibilidade, escalabilidade, controle e desempenho. É fácil e rápido implementar e, além disso, a largura de banda pode ser adicionada ou reduzida sempre que a empresa achar necessário. Assim, a TI pode fornecer roteamento, proteção contra ameaças, descarregamento eficiente de circuitos caros e simplificação do gerenciamento de redes WAN.

Integrar funcionalidades de segurança e rede em um único dispositivo SD-WAN seguro faz com que as empresas substituam seus produtos de ponto múltiplo por um dispositivo de segurança único e poderoso, a um custo reduzido e com facilidade de gerenciamento. Uma forte postura de segurança ajuda as empresas a usarem aplicativos em nuvem de forma mais econômica, com menor latência e com uma conexão direta à internet, garantindo desempenho ideal dos aplicativos, mais segurança e melhor experiência do usuário.

Firewall é um mecanismo de defesa que um sistema possui contra vulnerabilidades e ataques. Ele funciona como uma barreira de proteção e é responsável por analisar o tráfego da rede para bloquear dados indesejados ou o acesso à conteúdos maliciosos.

O firewall é essencial para as empresas, já que proporciona privacidade e segurança da informação, evitando desta forma o roubo de dados confidenciais.

Os Firewalls possuem capacidade de controlar aplicativos por classificação ou de acordo com o usuário. Eles também adotam várias abordagens de segmentação que isolam usuários, dispositivos e aplicativos, se alinhando às necessidades dos negócios. Ao isolar as redes, o firewall ajuda a acabar com um ponto único de entrada, que facilitava a invasão dos criminosos virtuais e a disseminação de ameaças na rede.

Além disso, eles proporcionam inspeção de alto desempenho e maior visibilidade da rede, com pouco ou nenhuma perda de desempenho para auxiliar e proteger os data centers modernos e distribuídos, localizados em uma infraestrutura de TI complexa e híbrida.

Endpoint security é uma abordagem referente à proteção de uma rede empresarial, com status de monitoramento, softwares e atividades. Além dos endpoints englobarem dispositivos pessoais utilizados por um usuário final, como computador, desktop, tablet ou celular, eles também abrangem os dispositivos da Internet das Coisas (IoT).

A Plataforma de Proteção de Endpoints (EPP) impede ataques de malware por arquivos e implementa outros controles preventivos. A EPP oferece vários serviços voltados à prevenção como antivírus, firewall de dispositivos, filtragem da web, proteção de dados por meio de criptografia e controle de dispositivos. Já a Detecção e Resposta de Endpoints (EDR) é um software utilizado para detectar, investigar, responder as atividades suspeitas no endpoint, impedir e reverter produtos de ransomware em tempo real, de forma automatizada e orientada a políticas. Uma solução combinada de EPP e EDR acaba com as preocupações de integração, além de simplificar a configuração e gerenciamento para os analistas.

A solução para a detecção prévia de malware desconhecido conta com uso de inteligência artificial e machine learning pelos serviços de informações contra ameaças, classificando com rapidez o potencial de ameaça à segurança dos arquivos transferidos na rede. Isso não se limita somente aos arquivos, os serviços de informações contra ameaças catalogam o conhecimento sobre ataques existentes ou iminentes, inclusive os mecanismos específicos do ataque, IoCs (Indicadores de Comprometimento), consequências do ataque, atribuição do atacante e possíveis motivações.

Um Sandbox é um sistema que limita as ações de um aplicativo, como abrir um documento ou browser a um ambiente virtual isolado. Com esse ambiente virtual seguro, o Sandbox estuda as várias interações do aplicativo para descobrir qualquer intenção maliciosa. Portanto, se algo inesperado ou perigoso acontecer, isso afetará apenas o Sandbox e não os outros computadores e dispositivos na rede.

A tecnologia Sandbox é normalmente gerenciada pela equipe de segurança da informação de uma organização, mas é usada por equipes de rede, aplicativos e de operações de desktop para reforçar a segurança.

O SOAR (Security Orchestration Automation and Response) conecta todas suas outras ferramentas de segurança, formando fluxos de trabalho definidos, que podem ser executados automaticamente. Ele aumenta a eficiência da sua equipe, automatizando processos manuais repetitivos. Com a automatização, os analistas ganham tempo para investigar alertas importantes.

Implementar o SOAR não só centraliza seus processos de respostas e incidentes, mas também otimiza toda operação. A otimização traz respostas eficientes e em alta velocidade, possibilitando que as equipes melhorem a colaboração e gerenciem melhor os intermináveis alertas. Isso ocorre porque com o SOAR os usuários podem atribuir alertas a diferentes analistas ou equipes em diferentes estágios do processo de resposta, e os usuários atribuídos podem adicionar informações ao alerta conforme trabalham nele.

O NAC (Network Access Control) é um dispositivo ou máquina virtual que controla o acesso de dispositivos à rede. Ele abrange o acesso para convidados, uso de dispositivos pessoais no trabalho BYOD e internet das coisas (IoT). A maioria das soluções de NAC tem visibilidade completa da rede e é melhor em categorizar dispositivos automaticamente. Muitas soluções de NAC têm uma arquitetura centralizada e melhoram o controle dos dispositivos em redes grandes e com locais distribuídos. É fundamental que o NAC também seja integrado à estrutura de segurança, para que quando uma violação for detectada, o NAC responda automaticamente para notificar a central de operações de segurança SOC e funcione em conjunto com outros dispositivos de segurança para neutralizar a ameaça.

O SIEM (Security Information & Event Management) é um sistema que analisa alertas de segurança em tempo real, podendo integrar NOC e SOC, estabelecendo assim o SIEM como o centro nervoso de todas as operações de rede e segurança.

O SIEM simplifica a implantação e integração por meio de um mecanismo de autoaprendizagem em tempo real, de descoberta de ativos e de configuração de dispositivos. Esta ferramenta estabelece o inventário de dispositivos de rede, aplicativos, usuários e serviços comerciais. Em seguida, ele cria uma topologia mostrando como cada objeto está interconectado, estabelecendo assim uma linha de base do comportamento normal da rede. Ao determinar a normalidade e com a ajuda do aprendizado de máquina, o comportamento anormal pode alertar os analistas sobre um ataque cibernético, que pode então ser interrompido antes que ocorra uma violação.

O WAF (Web Application Firewall) é um dispositivo ou software que monitora o tráfego HTTP/HTTPS e consegue bloquear o tráfego malicioso de entrada ou saída em um aplicativo da web. A diferença entre ele e um firewall de borda convencional é que ele visa o conteúdo de aplicativos específicos da web e no nível do aplicativo, enquanto os firewalls de borda criam gateways seguros entre a rede local e os servidores externos no nível da rede.

Ao inspecionar o tráfego HTTP, um WAF pode impedir ataques originados em falhas de segurança de aplicativos da web como injeção de SQL, scripts entre sites, inclusão de arquivos e configurações de segurança incorretas.

Os gateways de e-mail seguro (SEG) são uma camada de proteção de e-mails recebidos e enviados para bloquear ameaças cibernéticas, como spam, phishing, trojan, ransomware e outros tipos de malware. O objetivo de um SEG é filtrar e analisar mensagens para detectar e combater e-mails indesejados e perigosos, que possam vir a causar algum dano à empresa.

Para educar os funcionários e protegê-los de táticas de phishing, as empresas instalaram filtros de spam em servidores de e-mail, scanners de antivírus, emulação de ameaça e sandboxing para detectar anexos e links maliciosos em tempo real. Uma maior automação e machine learning são integrados para proteger gateways de e-mail, o que alivia as demandas colocadas nos centros de operações de segurança.

Prevenção de Perda de Dados (DLP) também está disponível para detectar e parar a saída de dados confidenciais. Em alguns casos, um gateway de e-mail seguro é integrado a outros dispositivos de segurança de rede como firewalls de borda e segmentação.

Web Filter é um aplicativo que examina as páginas da web recebidas para determinar se parte ou todo conteúdo deve ser bloqueado. O Web Filter toma essas decisões com base em regras definidas pela organização ou indivíduo que instalou o aplicativo.

A navegação tornou-se mais segura com o desenvolvimento de filtros que podem bloquear adware, spam, vírus e spyware. Hoje a filtragem de web forma a primeira linha de defesa contra ataques baseados na web.

Um Web Filter pode consultar um banco de dados de URL que lista sites e domínios que são conhecidos por hospedar malware, phishing e outros perigos.

O SOC (Security Operations Center) é responsável por centralizar a operação de segurança em apenas um lugar. É um serviço focado em segurança da informação e que abrange tecnologia, processos e pessoas. O SOC é formado por um time de especialistas que tem como objetivo realizar o monitoramento da segurança da informação do negócio 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Esse serviço é responsável por atuar na prevenção, detecção e monitoramento de incidentes, vulnerabilidades e ataques cibernéticos, proporcionando respostas rápidas em problemas relacionados à segurança da informação.

Quer ter total proteção de seus dados contra invasões e falhas ocasionadas pela falta de segurança do negócio? Fale com um de nossos consultores e conheça as soluções de Segurança da Informação da NSB!

EnglishPortugueseSpanish